Simone Izumi, Chocolatria

Batemos na porta da Chocolatria em São Paulo, uma loja e escola de chocolates e doces idealizada pela empresária Simone Izumi, mas descobrimos uma Simone que além de professora e mestre em tudo que envolve doces, é craque na fotografia e ótima contadora de histórias. Ela não ensina apenas técnicas de confeitaria, mas sim exemplos pra vida. Começou a fazer trufas para vender nas horas vagas e a profissão menos promissora foi a que deu mais certo –

Você é arquiteta por formação e começou a fazer trufas no fim de semana. Qual conselho você daria para quem sonha em mudar de carreira?

Tome uma dose caprichada de auto-motivação no seu café da manhã diário. Aliado a isso, muita disciplina, proatividade e foco naquilo que almeja sem perder o seu frescor e alegria de viver. Mudanças são sempre bem-vindas e promovem uma oxigenação extraordinária no cérebro. Nos sentimos vivos e destemidos!

O seu dia-a-dia é bem corrido, mas você sempre mantêm o sorriso no rosto. É culpa do chocolate?

Essa foi boa 🙂 O chocolate faz parte inerente da minha vida. É através do trabalho com o chocolate que me realizo como profissional e ser humano. Ele proporciona estudo para os meus filhos, sustento familiar e de vários outros, promove as minhas incursões gastronômicas mundo afora e me permite conhecer um bocado de gente bacana. A minha rotina é muito corrida, mas como sou muito agitada, não vejo outro ritmo de vida senão este.

Livro, blog, Chocolatria

Simone se divide entre entregar os pedidos em dia, alimentar as redes sociais da empresa, escrever no seu blog (com muitas receitas) e ainda encontrou tempo para escrever um livro, “Loucuras de Chocolate”

O chocolate não é o ingrediente mais fácil de se trabalhar, apesar de ser provavelmente o mais fácil de comer. Qual a sua dica para quem quer aprender?

Um bom começo seria frequentar as minhas aulas! No primeiro módulo de chocolate, se for preciso dou a mão para o aluno começar a andar. Faço questão de dar uma explicação profunda sobre a natureza do chocolate, para que o aluno comece a ganhar confiança no manuseio, entendendo o por quê de cada procedimento, o por quê de dar certo, o por quê de dar errado. Muitos associam o chocolate a um ingrediente místico, que tem vida própria e que dá certo no dia que bem entender. E não é bem assim! Para se trabalhar com chocolate, basta ter metodologia e saber administrá-lo.

Custos fazem parte de qualquer negócio e devem ser aceitos com naturalidade. Dificil mesmo é controlar a ansiedade em relação aos resultados desejados

- Simone Izumi

Qual a parte mais gratificante e a mais difícil de ter o próprio negócio?

A mais gratificante? Sensação de vitória e conquistas diárias. Depois do negócio consolidado, observo que todos os dias tenho um motivo para celebrar.

A mais difícil? Quem imagina que são os altos custos fixos, está enganado! Custos fazem parte de qualquer negócio e devem ser aceitos com naturalidade. Dificil mesmo é controlar a ansiedade em relação aos resultados desejados. Apesar de ser muito agitada e de natureza imediatista, adquiri uma paciência absurda nesta trajetória. Tudo tem o seu tempo.

Experiências adquiridas ao longo dos anos que você gostaria de compartilhar?

Hoje eu não me apavoro muito fácil porque tudo que a gente já passou foi tão sofrido que você vai ganhando muita segurança frente as dificuldades. O sonho na verdade vai pegando o formato certo com o passar do tempo. Se você tem uma ideia definida e absoluta do que ele é, isso não é muito motivador. O sonho vai tomando forma com o decorrer da vivência mesmo, mudando os valores. Às vezes no começo a gente quer uma coisa material, mas depois você descobre que seu objetivo não é esse.

Descreva o dia perfeito em São Paulo, gastronomicamente falando!

Acordaria sem despertador, porém num horário decente para desfrutar de um café da manhã na padoca. Simplesmente adoro este ambiente. Entre um burburinho e outro, tilintar de xicrinhas e cantoria dos maestros do balcão, pediria o meu pão na chapa prensado e esturricado, acompanhado de um café abençoado com uma nuvem de espuma de leite. De lá, sairia para bater perna no Mercadão de São Paulo. Afinal, é preciso abastecer a casa de cheiros, texturas e gordices! Depois de provar muitas frutas doces no corredor principal, adentraria nas barraquinhas de tempero em busca de cardamomo, aniz estrelado, amburana e lavanda. De lá, pularia para a barraca de queijos que é uma verdadeira tentação. Hmmm… porque não ceder às tentações de um gelato de limoncello do Empório Chiappetta? Afinal é domingo.

Como é um dia perfeito, ignoro o horário e a distância e parto para o meu próximo destino: Mocotó, do gentleman Rodrigo Oliveira. Lá sou feliz das entradinhas às sobremesas belamente servidas. Fim de refeição pede um café. Abriria o Coffee Lab sem pudor nenhum (que não funciona aos domingos) e num outro respiro cairia no centro decadente de São Paulo em busca dos pastéis de Belém recém saídos do forno da Casa Mathilde.

Penso com os meus botões, como fecharia o dia de uma avestruz com chave de ouro. Um chá verde? Hoje não. Poderia ser um lamen (ensopado japonês) na Liberdade, um bulgogui (churrasco coreano) na Aclimação, uma massa no Bixiga ou até um prato sem muito cuidado numa praça de alimentação. Na verdade, nenhum lugar é bom suficiente se não existe uma boa companhia. Então se você pensa em ter um negócio próprio, tenha sim e sem medo. Mas nunca deixe de se divertir e tenha sempre tempo para àqueles que dão sentido à sua vida: a sua família e amigos! Nutra felicidade.

O que você diria para a Simone de 21 anos?

Vai dar tudo certo.

– Simone Izumi foi fotografada por Juliana Kang no Campo Belo em São Paulo.

  • Bia

    Simone=simplicidade e amor!

  • Marina Janelli

    Lindo demais! Eu a conheço pessoalmente, dos cursos que realizei, e só cresce minha admiração.